ALEM DO POÇO




Ouça a minha voz: há esperança! Tenha fé, sempre há uma esperança e uma solução para qualquer problema. Até pra morte há jeito: chama-se ressurreição.

“Achava-se ali o poço de Jacó. Jesus, pois, cansado da viagem, sentou-se assim junto do poço; era cerca da hora sexta.Veio uma mulher de Samária tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.”  João, 4.6,7

O poço de Jacó é fundo, é um poço de água morta, parada, mais ainda doce.
O poço de Jacó representa uma vida puxada em poções, isso é o folego, uma vida natural, uma fé natural, assim, todos podemos beber a água do poço de Jacó. Valorize a sua vida, ela é um bem precioso que Deus te deu, seja grato, se você existe hoje é porque teve um guardador lá do céu, fiel e bondoso, você sabe de quem estou falando. Nunca deixe de valorizar as pequenas coisas da sua vida, um simples abraço, um sorriso, um bom dia porque, para todos, um dia pode chegar o dia mal e você com certeza não terá prazer nele. E se chegar o dia mal, o dia de trevas, será que você será capaz de descansar na hora sexta, como fez Jesus, sentando-se junto ao poço?

Se você não descansar e desesperar, não caia no fundo do poço.
Se você cair além do poço estará no vale, no vale da lamentação.
Como sair dele? Lembre-se, pra tudo há uma solução.

“Assim saí de noite pela porta do vale, até a fonte do dragão, e até a porta do monturo, e contemplei os muros de Jerusalém, que estavam demolidos, e as suas portas, que tinham sido consumidas pelo fogo. Ainda de noite subi pelo ribeiro, e contemplei o muro; e virando, entrei pela porta do vale, e assim voltei.”  Neemias 2, 13,15

O vale da lamentação é um lugar de reflexão, para alguns de lamento e tristeza mas sobretudo um lugar de arrependida reflexão na cinza e no pó. Neemias voltou daquele lugar, simplesmente voltou. O lugar de arrependimento é a chave do vale da lamentação.
Mas pode surgir vida das cinzas?

Jó disse em seu livro:

“Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos. Pelo que me abomino, e me arrependo no pó e na cinza.” Jó 42.5,6

Está escrito que “ O Senhor, pois, virou o cativeiro de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o Senhor deu a Jó o dobro do que antes possuía.” Jó, 42.10

Em Atos, 12. 5-7 diz

“Pedro, pois, estava guardado na prisão; mas a igreja orava com insistência a Deus por ele. Ora quando Herodes estava para apresentá-lo, nessa mesma noite estava Pedro dormindo entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias e as sentinelas diante da porta guardavam a prisão. E eis que sobreveio um anjo do Senhor, e uma luz resplandeceu na prisão; e ele, tocando no lado de Pedro, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias.”

Não sirva a Deus por medo. Deus não quer que você o sirva por medo. Sirva a Deus por amor. Se você tem amor a Deus, não há medo, nem inferno e muito menos condenação. Creia nisso e você será salvo de todos os seus temores.

 “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” Mateus, 16.18

Ainda há esperança na cinza e no pó?

“e lhes dirás: Assim diz o Senhor dos exércitos: Deste modo quebrarei eu a este povo, e a esta cidade, como se quebra o vaso do oleiro, de sorte que não pode mais refazer-se; e os enterrarão em Tofete, porque não haverá outro lugar para os enterrar.”  Jeremias 19.11

Ainda que o homem não possa refazer-se, Deus pode todas as coisas e tudo é possível para aquele que crer.


“Como o vaso, que ele fazia de barro, se quebrou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos seus olhos fazer. Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR: eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.” Jeremias 18.4,6


“Veio sobre mim a mão do Senhor; e ele me levou no Espírito do Senhor, e me pôs no meio do vale que estava cheio de ossos; Profetizei, pois, como se me deu ordem. Ora enquanto eu profetizava, houve um ruído; e eis que se fez um rebuliço, e os ossos se achegaram, osso ao seu osso. Profetizei, pois, como ele me ordenara; então o fôlego da vida entrou neles e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo.” Ezequiel, 37. 1,7,10

Há esperança para quem bebê da fonte do dragão?

A fonte do dragão é uma fonte como qualquer outra. Se você escolher beber nela tristezas, é o que beberá, se escolher angustias, beberá angustias mas se escolher esperança terá esperança. É a fonte do dragão, mas não se impressione pelo dragão da fonte. Na verdade, o seu maior inimigo é a fonte do mal que pode estar dentro de cada homem. Mas ainda que você beba de uma fonte venenosa ainda haverá esperança, porque você, se escolher buscar a própria fonte de Deus que está no seu interior, você será um integrante do exército da esperança.

“pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.”  Marcos, 16.18

De onde esse exército vem?
Do outro lado, além do poço, do lado da luz
Lá, ouve-se o eco "da-me de beber...da-me de beber"
Quem ouvira esse eco?

“E o espírito, e a esposa dizem: Vem. E quem ouve diga: Vem. E quem tem sede, venha: e quem quiser tome de graça da água da vida.” Apocalipse 22.17

Estava em samaria, a mulher e o poço. A água natural do fundo do poço não transforma vidas só mantém a vida natural. Transformação não vem de água morta parada, vem de águas vivas,
Em Jo 5.1-9, fala de águas que movem o tanque, Jesus tem AMOR: Aguas que Movem O Rio.

“Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o lugar santo das moradas do Altíssimo.” Salmos, 46.4

Só com Jeová que veremos o que é o amor, Por enquanto vemos o rio cristalino e quando nos espantamos com o reflexo você talvez dirá: sou eu, sou eu...

É ilusão nossa, olhe mais fixamente para o rio cristalino
Você vera outro rio...
O reflexo dele brilha como a vermelhidão do jaspe, não é um rio de agua cristalina eh um rio  ardente, esse rio flui como uma canção:

“Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço; porque o amor é forte como a morte; a sua chama é chama de fogo, verdadeira labareda de Jeova.” Cantares, 8.6

Você esquecerá do passado, quando dizia diante do rio cristalino: "sou eu, sou eu"
E no final, o rio ardente te dira: “sou o que sou”

Qual o sentido da vida?
Você já tem um alvo, um ide?
É aqui, Aquém, Além.
Onde o rio do amor cruzar com o rio da sua vida.

"O homem que andou na Galileia
Se chama Jesus de Nazaré
Agora está comigo
Renova a minha vida
Aumenta a cada dia mais a minha fé.

Fé, mais fé
Amor, mais amor
Quem não tem peça ao Salvador
Pois sem fé e sem amor
Não se pode agradar ao Senhor." 


Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra
20 de abril de 2018

O TEMPO DETERMINADO




Vamos fazer agora uma viagem no tempo? E quem disse que não é possível? A cada segundo seu presente se torna passado e seu futuro se torna presente. E tudo está sendo escrito. 
É como disse o sábio:

"O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou." Eclesiastes 3.15

Isso pode parecer normal mas tome cuidado pra não ficar preso no tempo. Mas como assim?

Você já notou que as coisas são um pouco repetitivas por aqui? A terra gira e o sol parece nascer todos os dias, levantamos, vivemos e trabalhamos, e o sol parece pôr-se, marcando novamente a chegada do descanso  (Ec 1.8). O relógio do tempo, enfadonho, está sempre circulando e mais uma hora depois das 23 horas e tudo retorna a estaca zero. E não escapa a todo o homem que o tempo está passando e a morte chegando. Afinal de contas, nós somos mortais, estamos presos ao tempo. Sim, presos ao tempo mas não escravos dele. Você não pode ser escravo de si mesmo, da rotina, do mundo, do pecado. Chega da conformidade à mesmice de sempre. Quebre a corrente! Se você não tiver forças, vou falar de um homem que não está sujeito mas ao nosso tempo, não somente um homem do passado, um homem do presente e que esta no seu futuro, aquele que escreveu a sua história e que diz que ela não é sujeita as amarras do tempo, um homem e um nome, que vai quebrar todas as correntes: JESUS CRISTO. Todos pensavam que Ele era só mais um homem, e ele superou as expectativas. A terra parecia girar para Ele de uma forma diferente. Na verdade o sol nasceu pra Ele, Ele é a razão do sol existir. Onde havia doenças Ele trouxe cura, onde havia tristeza Ele trouxe alegria, onde havia morte, trouxe vida, para os outros e para Ele mesmo (Jo 10.18), onde havia pecado, trouxe purificação: Jesus Cristo quebrou todas as correntes. Em nome de Jesus Cristo eu declaro quebradas todas as correntes: você é livre para viver em novidade de vida, vida super abundante, vida eterna, onde o tempo não passa, onde o tempo é sempre presente pra você viver sempre a luz do dia (Pv 4.18, Ap 22.5), Deus quer que você viva seus dias no seu tempo determinado: AGORA. Não conte os tempos, viva este momento.



02 de dezembro de 2016
Autor: G.F. da Silva

O SORRISO DE JESUS





O sorriso é uma expressão de Deus criado para você. Sorrir não significa que você não vai receber más noticias ou nunca passar por momentos difíceis. O sorriso traz a paz que excede todo entendimento, a paz de Deus (Fp 4.7). Não deixe ninguém roubar essa paz, ela é um presente de Deus pra você. 

O sorriso expressa a alegria incomparável de ser salvo por Jesus e não temer mais nenhuma condenação. Não há condenação para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8.1). Compartilhe esse sorriso amando seus familiares, amigos e ao seu próximo. Até aos seus inimigos, responda-os com a melhor resposta: faça o bem mesmo que te façam mal. Se você plantar o bem, você receberá de Deus a boa recompensa. Aos que choram, console. Aos que estão tristes, compartilhe a sua alegria. 

O sorriso não é só o seu, mas também pode ser o de todos os que estão a sua volta. Influencie positivamente as pessoas ao seu redor com um boa palavra, ou transmitindo um sentimento de forma simples, como só um discípulo de Jesus sabe fazer, com certeza isso é tão fácil quanto um sorriso. Se as lágrimas forem o consolo para a sua vida, as águas do seu viver seriam salgadas e insaciáveis, mas veja, contemple, Jesus sorri, e é como o sol brilhando com todo o seu poder, iluminando e dando sentido a sua vida. Sorria, se seu rosto esboçar alegria as coisas já podem ficar melhor, qual tristeza resistiria ao raiar de um coração cheio da alegria e da certeza incontestável do verdadeiro filho de Deus?

Sorria, é de graça. Pela graça de Deus temos esta oportunidade, não deixe nenhuma treva esconder a face única daquele por quem Cristo morreu e ressuscitou.



Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra
13 de fevereiro de 2018




O MAR DO ESQUECIMENTO





Você se lembra de ter mergulhado no mar do esquecimento? Sei que essa é uma pergunta difícil de ser respondida mas o esquecimento é algo muito necessário. Quando um homem bom morre ele não lembra de muitas coisas porque a sua memória está no esquecimento (Ec 9.5,6). Na verdade é preciso morrer primeiro pra nascer de novo. E essa morte inclui a morte da memória, mas não uma morte total. O passado de pecado é o que deve ser esquecido:

Tornará a apiedar-se de nós: subjugará as nossas iniquidades, e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar. (Miquéias 7.19)

Quando morremos no corpo de pecado (Rm 8.10, Cl 3.3), nosso passado de pecado e acusação também é lançado por Deus no mar do esquecimento. Mas se você não fizer o mesmo? Isso, Deus lançou no mar as lembranças e você, também se desfez dessas recordações? Saiba que essas memórias não são mais suas, mas pertencem a uma pessoa que já morreu (Rm 7.5,6). São as memórias do velho homem, da velha mulher (Cl 3.9). Você nasceu das águas do mar com uma nova vida e uma nova história, construída no presente, e com novas perspectivas de futuro. 

Mas então o que devemos lembrar? Traga a sua memória aquilo que te dá esperança (Lm 3.21). E no demais tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso devemos pensar (Fp 4.8). Deixe Deus dominar seus pensamentos, não permita ser dominado ou escravizado por eles!

Deus gerou o mar do esquecimento dentro de cada um de nós. Um dia o mar do esquecimento transbordará e vai inundar o mar de dor, de tristeza, de sofrimentos e tudo será esquecido, porque ele enxugará dos nossos olhos toda lagrima e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor, porque tudo isso será passado e Deus fará novas todas as coisas (Ap 21.4,5). Deus desde agora está mudando nossa mente (1 Co 2.16), e com uma mente renovada podemos mudar o mundo a nossa volta. Só quando nossa visão de mundo mudar, poderemos ter a esperança de um novo céu e uma nova terra.



9 de dezembro de 2016
Autor: G.F. da Silva

E AGORA JEREMIAS?




A questão inicial não é estar certo ou errado. Errar? Todo mundo erra, isso você sabe, não é mesmo? A seguinte expressão já virou ditado popular “quem não tem pecado que atire a primeira pedra” (Jo 8.7) A palavra de Deus diz:

“Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.” 1 João 1.8

Mas no caso de acusações? Já que se trata de acusadores e acusados, vamos primeiro “ouvir” os acusadores. Há dois tipos de acusadores: o natural e o sobrenatural. O natural é o homem, e falando deste, definimos quem primeiramente ele é: você. Isso mesmo, você é o seu primeiro acusador natural. Todos nós temos uma consciência, e ela é como uma lei própria da nossa mente. Vejamos o que a palavra de Deus fala sobre isso:

“Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei, os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os” Rm 2.14,15

A consciência e os pensamentos são testificadores da nossa alma. Eles nos defendem, mas também nos acusam. Eles fazem isso porque em nosso coração há uma lei naturalmente escrita por Deus, a qual nos orienta sobre o que é certo ou errado. Tal lei será desvelada no dia do juízo, “quando deus julgar os segredos dos homens” (Rm 2.16). 

Também está escrito: 

“Que se nosso coração nos condena, maior é Deus do que nosso coração, e conhece todas as coisas. Caríssimos, se o nosso coração nos não condena, temos para com Deus.” 1 João 3.20,21

Isso é uma grande alívio para nós! Nem sempre o coração está certo. Lembre-se que “enganoso é o coração mais do que todas as coisas” (Jr 17.9). Diante das acusações da consciência, chame por seu Advogado. Ele tem nome, e tem legitimidade de exercer seu ofício, pois Ele foi aprovado mediante sacrifício de sangue, e o seu sangue nos purifica de todo pecado (1 Jo 1.7). Não se esqueça, diante das acusações diga: “Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8.1)

Vamos a outro tipo de acusador natural: o seu próximo. Falando desses, definimos quem especificamente são: conhecidos, vizinhos, amigos e parentes próximos. Aliás, acho que os nossos “inimigos” naturais, não estão longe, mas são os que estão bem perto, os da sua própria casa, tal como aconteceu na vida do profeta Jeremias (Jr 12.6; Mt 10.34). Mas não se engane, eles não são os seus verdadeiros inimigos. Seu verdadeiro inimigo é Satanás. Defino ele como o segundo tipo de acusador ou inimigo, o verdadeiro acusador. Seu nome significa “ser hostil” “adversário” ou “opositor”, “acusador”. E quando esse ser sobrenatural e maligno te acusa com suas mentiras, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira (Jo 8.44). Porém, se Satanás nos acusar com a realidade dos fatos, lançando sobre nós nossos erros? Faça isso: confesse seus erros antes de chamar pelo Advogado. O Advogado não pode fazer muito por você se você não se arrepender dos seus pecados e confessar a Ele as suas culpas.

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos limpar de toda maldade.” (1 João 1.9)

Agora sim! Se o acusador lançar suas culpas sobre você, há um que carregou todas elas: Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si, o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. (Is 53 4,5)

Então, já sabemos que devemos lutar contra os acusadores. Sobre acusados, não precisamos mais escrever, porém a estes, entre os quais me incluo, considero: temos um justificador, Jesus Cristo, e que nossa luta não é contra o homem. Repito: nossa luta não é contra nossos amigos e muito menos contra nossos inimigos humanos. Não lute contra eles. Lute contra Satanás e seus demônios.

"porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." (Efésios 6.12)

Se muitos são seus amigos e irmãos, graças a Deus por isso. Se outros se fazem seus inimigos, não pague na mesma moeda. “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem, para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos. (Mt 5 44, 45) 

Responda você, isso é fácil? Esse é nosso desafio diário. 

6 de Maio de 2016
Autor: G.F. da Silva


O MEDO DA MORTE






"Então lhe enviou um capitão de cinquenta: e, subindo a ele (porque eis que estava assentado no cume do monte), disse-lhe: Homem de Deus, o rei diz: Desce. Mas Elias respondeu, e disse ao capitão de cinquenta: Se eu pois sou homem de Deus, desça fogo do céu, e te consuma a ti e aos teus cinquenta. Então fogo desceu do céu, e o consumiu a ele e aos seus cinquenta." 2 Reis 1.9,10


Elias era profeta e sua profecia teve graves consequências. Ele, diante de um capitão com cinquenta homens, profetizou fogo sobre eles e todos foram consumidos pelo fogo. Isso se repetiu com outro grupo de 51 homens (2 Rs 1.10,12)

Elias usou o poder da profecia, manifesto no fogo, diante de uma eminente ameaça. Mas ele temia pela sua vida (2 Rs 1.15). O medo motivou a profecia de Elias, a qual foi cumprida, já que ele era um homem de Deus, tal como foi reconhecido pelos capitães de cinquenta. Mas, se foi motivada pelo medo, então porque a profecia foi cumprida? Deus agiu por sua fidelidade ao homem de Deus e a sua palavra profética. A fidelidade de Deus está acima de todos os medos. Qual o seu medo?  Elias tinha medo da morte e esse temor o levava a fugir de quem queria matá-lo (1 Rs 19.1-4). 

O poder de Deus não deve ser invocado pelo medo, muito menos pela ira, como foi com Moisés (Nm 20.11). O fogo, no caso de Elias, representava o poder de consumir o sacrifício e o poder da morte (1 Rs 18.38; 2 Rs 1.10,12). Deus nos ensina com o ministério de Elias que não podemos fugir sempre dos nossos medos. Deus arrebatou Elias através de uma carruagem de fogo ( 2 Rs 2.11) para ensiná-lo que ele não deveria temer a morte. A morte era apenas um fogo que não podia consumi-lo. Diante de nossos medos devemos ter ousadia para que possamos vencer cada um deles. 

Devemos enfrentar com coragem nossos medos pois nenhum medo pode nos afastar do amor de Deus. Se você tiver o amor de Deus em seu coração, com certeza o medo não terá mais espaço (1 Jo 4.18). 

No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo; ora o medo produz tormento, logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. (1 João 4.18)

Nem o maior de todos os medos, nem a morte pode nos afastar do amor de Deus (Rm 8.35). A morte não pode nos causar medo pois temos a vida eterna (Jo 5.24, Jo 6.47). E essa vida é dada a todos que creem no filho de Deus, Jesus Cristo. Se você crê verdadeiramente em Jesus, a morte não pode te fazer fugir de medo, pois nada poderá afastá-lo do Nosso Senhor. 


24 de Julho de 2016
Autor: G.F. da Silva

SEGUINDO OS SINAIS






Quem é você? Qual a sua missão de vida? Você pode responder essas perguntas se seguir os sinais do Espírito Santo, pois é Ele que revela a Verdade. E esta Verdade é Jesus, o Cristo. O Espírito revela a Cristo, e Cristo revela quem você é e qual a sua missão. Como? Entenderemos se seguirmos os sinais.

João Batista nos dá um sinal de geração. O batismo de João apontava para um batismo diferente do batismo em águas: o batismo com Espírito Santo (Mc 1.8). Você é gerado da água e do Espírito (Jo 3.5), e da Palavra de Deus (1 Pe .23), é uma nova criatura em Cristo (2 Co 5.17). Viva essa novidade de vida. A vida eterna é uma construção diária. Desfrute dela hoje!

Elias nos dá um sinal de autoridade profética. Essa autoridade aponta para a autoridade de Cristo, pois a Ele foi dado todo poder no céu e na terra (Mt 28.18). Você tem também a autoridade de um filho de Deus, dada por Jesus (Lc 10.19). Exerça essa autoridade na obra de Deus. As nossas obras provam ao mundo se na verdade somos discípulos de Jesus.

Jeremias nos dá o sinal do templo. Jeremias profetizou antes e depois da destruição da cidade e do templo de Jerusalém. A destruição do templo é um sinal da morte de Jesus (Jo 12.19-21). Jesus falava do templo do seu corpo, que foi sacrificado mas ressuscitado ao terceiro dia. Nós também morremos e ressuscitamos com Cristo (Cl 3.1-3).

O Espírito Santo dá sinais para que você conheça que Jesus é o Cristo. Quando a Unção de Cristo for derramada sobre você, seus olhos se abrirão e verão o Filho de Deus. Você também entenderá pelos sinais que você também é filho de Deus e tem uma missão no seu Reino. Olhe para o Cristo. Ele vive na Palavra escrita ou falada mas ele é a Palavra viva. Ele vive em nós. Sigamos seus sinais pois Ele nunca deixa de nos dizer: -Segue-me.

E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens que eu, o filho do homem, sou? E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias, e outros, Jeremias ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o filho do Deus vivente. Mateus 16.13-16


25 de Outubro de 2016
Autor: G.F. da Silva

E ASSIM CAIU UM ANJO...






"e de um sangue (só) fez toda a geração dos homens para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação" Atos 17.26 

A Bíblia conta que o homem e a mulher foi criado no sexto dia (Gn 1.26), e a eles foi dado o domínio sobre a terra (Gn 1.28). O homem foi criado do pó da terra (Gn 2.7), a mulher do lado (ou costela) de Adão (Gn 2.21,22). Deus plantou um jardim no Éden e fez brotar árvores da terra para comida, a arvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 2.9). Essa é a primeira sociedade da terra: a sociedade edênica. Ela é formada por Adão , Eva, as árvores e o próprio Deus. Isso se dá porque há fortes indícios de que a narrativa do Gênesis é simbólica e não literal. Vemos na bíblia diversos textos que personificam arvores (Nm 24.6, Jz 9.8, 1 Cr 19.33, Is 61.3, Ez 17.24). Em especial, no livro de Ezequiel:

"Eis que a Assíria era um cedro no Líbano, de ramos formosos, de sombrosa ramagem e de alta estatura, e o seu topo estava entre os ramos espessos." Ezequiel 31.3

Esse texto conta que existia uma árvore no jardim de Deus que elevou a sua estatura sobre todas as árvores do campo, até o momento a narrativa aborda a história da Assíria. Vamos continuar lendo:

"Os cedros não o podiam escurecer no jardim de Deus; as faias não igualavam os seus ramos, e os castanheiros não eram como os seus renovos: nenhuma árvore no jardim de Deus se assemelhou a ele na sua formosura." Ezequiel 31.8 

A partir do versículo nove é revelado de qual jardim realmente o texto está falando:

"Formoso o fiz com a multidão dos seus ramos: e todas as árvores do Éden, que estavam no jardim de Deus tiveram inveja dele." Ezequiel 31.9

O relato histórico não é mais o foco. Ele é apenas usado para falar de uma verdade anterior, a queda da árvore elevada, Lúcifer.

Se interpretarmos Gênesis 2 e 3 a luz de Ezequiel 31 e do conceito de personificação das árvores da Bíblia vamos notar que há uma sociedade no Éden: Deus, homens e anjos vivendo em total harmonia. Parece que sempre foi esse o objetivo de Deus, e essa será o final da história humana, segundo Apocalipse 21 e 22.

Porém, no jardim do Éden se destacou uma árvore (Lúcifer) e isso motivou a inveja das outras árvores (demais anjos). Isso atraiu a ira de Deus que caiu sobre a arvore altiva. O pecado dessa árvore que se engrandeceu é o orgulho:

Portanto assim diz o Senhor JEOVÁ: Como te elevaste na tua estatura, e se levantou o seu topo no meio dos espessos ramos, e o seu coração se exalçou na sua altura, Eu o entregarei na mão da mais poderosa das nações, que lhe dará o tratamento merecido; pela sua impiedade o lançarei fora. Ezequiel 31.10,11

A ORIGEM DE SATANÁS

Vamos usar o texto de Ezequiel 28 que aborda a história do Rei de Tiro (Lúcifer).
Lúcifer era um querubim ungido cheio de sabedoria e formosura (Ez 28. 13,14) e ele estava no Éden:

"Estavas no Éden, jardim de Deus: toda a pedra preciosa era a tua cobertura, a sardônia, o topázio, o diamante, a turquesa, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo, a esmeralda e o ouro: a obra dos teus tambores e dos teus pífaros estava em ti; no dia em que foste criado foram preparados." Ezequiel 28:13 

Parece que a ordem de Deus sobre muitos anjos querubins é a proteção de lugares determinados. Lúcifer protegia e guardava o Monte Santo de Deus:

"Tu eras querubim ungido para proteger, e te estabeleci: no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas." Ezequiel 28.14

Esse querubim ungido pecou no seu coração:

"Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Ezequiel 28.15, 17

O pecado de Lúcifer é um pecado de rebelião contra Deus:

Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Pois que estimas o teu coração, como se fora o coração de Deus. Ezequiel 28.6 

A REBELIÃO DE LÚCIFER

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do norte. Subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." Isaías 14.12-14

Especificamente a rebelião de Lúcifer foi motivada pelo seu orgulho. A partir disso, ele intentou ser semelhante a Deus. É interessante notar que ele se elevou "acima das estrelas de Deus", "acima das mais altas nuvens", isso significa que ele queria ser mais elevado do que os outros anjos superiores.
A partir desse momento Lúcifer organizou a sua rebelião. Ele enganou os outros anjos que aderiram ao seu pecado, a saber a terça parte dos anjos:

"E apareceu outro sinal no céu, e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças, sete diademas. E a sua cauda  levava arrastando a terceira parte das estrelas do céu, e lançou-as em (sobre a) terra; e o dragão parou-se diante da mulher que havia de dar à luz,  para que, dando ela à luz,  tragasse a seu filho." Apocalipse 12.3,4

Nessa rebelião a terça parte dos anjos e Lúcifer caíram, e também posteriormente o homem:

"E fez-se uma batalha no céu: Miguel e mais seus anjos combatiam contra o dragão; e combatia o dragão e os seus anjos, mas não prevaleceram; (não foram os mais fortes) nem mais foi o seu lugar achado nos céus. E foi lançado o grande dragão, a saber, a antiga serpente chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi lançado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele" Apocalipse 12:7-9

A rebelião do Éden começou nas mesmas circunstancias, pois o engodo da serpente estava em fazer o homem crer que poderia ser como Deus:

"Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." Gênesis 3.5

A rebelião de Lúcifer e a rebelião do Éden tanto se assemelham que é justo concluirmos que se trata da mesma rebelião. No texto de Gênesis, os anjos seriam as árvores, e Lúcifer, a árvore do conhecimento do Bem e do Mal. A Arvore da Vida é Deus, que dá ao homem a vida eterna mediante sua obediência. Lúcifer é colocado como querubim ungido e isso atraí a inveja das outras árvores (Ez 31.9). Pelo seu orgulho Lúcifer cai e leva consigo a terça parte dos anjos e a humanidade (Ap 12.9).

No contexto do pecado do homem, comer da árvore do conhecimento do Bem e do Mal é partilhar de uma sabedoria maligna e de rebelião contra Deus que culmina na queda do homem. Deus na sua justiça, penaliza o homem e a mulher pelo seu pecado e também a serpente.

Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo: sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. Gênesis 3.14 

A partir desse momento ele deixa de ser chamado de Lúcifer, o portador da luz, e passa a se chamar Satanás, o adversário e acusador de Deus e da humanidade.



12 de dezembro de 2016
Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra

As quatro rodas do Golgota





O (corpo) rasgado
Que te faz sarado

O (espírito) expirado
Que te faz inspirado

A (água) viva
Que te faz regenerado

O (sangue) sacrificado
Que te faz vivificado

Assim você será ressuscitado da terra
Pois SÓ O SENHOR É DEUS dos céus


Autor: Espírito Santo de Deus

A CIDADE DE OURO





Somos como uma cidade. Ela deve ter muros fortes, fundamentos sólidos. Se o seu muro tiver brechas o inimigo pode invadir sua cidade e te fazer cativo dele. O muro é a sua convicção de fé, o fundamento é o alvo da sua fé, Jesus Cristo. Se você vive por convicções terrenas e temporais significa que vive por vista, mas se você vive pela fé está andando para o alto, o céu é o destino. Andar para o céu é como construir uma cidade.

Ninguém constrói uma cidade forte sem enfrentar dificuldades. Vai levar um tempo para você construir um muro de convicções, pois a verdade deve ser crida e vivida. Mas primeiro saiba o que é a verdade: a Palavra de Deus. Esse será seu fundamento, ninguém começa a construir um muro sem fazer primeiro o fundamento sobre o qual ele se apoia. Assim estamos andando para o céu em meio a tantos afazeres.

Se você está construindo, vai precisar de água. Sem um rio, nada pode se erguer, pois ele oferece a vida necessária para o trabalhador da obra. A água é a Verdade e o Espírito Santo. Beba a água do rio e ofereça ela também para os seus amigos que te ajudam nessa obra. Continue, você se aproxima do céu.

Vamos agora construir sua casa. Ela deve ser linda, feita do ouro mais reluzente que pode existir. E esse ouro deve ser encontrado nas profundas minas, por isso valorize o seu corpo e sua mente, pois se você não cuidar bem deles, não terá condição de ir ao mais profundo para explorar. Seu corpo é a sua casa. Se esforce, pois com todos trabalhando de forma coordenada, você terá todo ouro que precisar para construir uma linda casa. Não desista, na nossa jornada para o céu aventura é o que não falta.

Tudo já está se aprontando, e você se aproxima do céu, só lhe resta passar por uma porta: e a porta está aberta! Não é a porta da morte, é a porta da VIDA. Abra os olhos e veja aonde você está. Esta é sua cidade, veja você em sua casa, os seus muros, o rio... os seus amigos, pais e irmãos, sim, a sua família! Agradeça por cada um, pois eles são tesouros da sua cidade.


8 de dezembro de 2016
Autor: Gabriel Francisco da Silva BEZERRA

EM BUSCA DO PAO DA VIDA




"E, sendo Jesus já nascido em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente a Jerusalém, dizendo: Aonde está aquele que é o nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos a adorá-lo." Mateus 2.1, 2


Um dia estava com bem pouco dinheiro, somente algumas poucas moedas, e como muita fome, tive que andar uns vários quilômetros até uma pequena padaria com a esperança de poder comprar bem mais do que realmente podia. Mostrei minhas moedas, e o que consegui comprar foram dois pães. Não pense que havia manteiga, ou queijo, muito menos uma xícara de café. Foram os dois pães mais saborosos da minha vida, simplesmente o que eu precisava.

O pão simboliza muito mais do que um pão, este alimento matinal feito geralmente a base de farinha de trigo. Pão é tudo aquilo que nos alimenta, que nos sustenta, indispensável a nossa vida. Belém significa casa do pão. Estamos em Belém, a cidade do Salvador, onde todos encontramos aquele que lá nasceu. Quer saber um pouco mais sobre isso? Então vamos relembrar o caminho a Casa do Pão.

Não importa onde estávamos, se no ocidente ou no lugar mais distante, nós vimos a estrela do nosso Rei, que haveria de nascer em nossos corações, e essa estrela nos iluminou e deu sentido a nossa vida.

"Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas nas congregações. Eu sou a raiz e a descendência de Davi, a resplandecente estrela da alva." Apocalipse 22.16

Mas precisávamos continuar, pois afinal de contas, ver a estrela do Rei, não é o mesmo que ver o Rei da estrela. Precisamos a cada dia desenvolver a nossa intimidade com Deus. a nossa comunhão pessoal com Ele. Independente de qualquer coisa, tire um tempo pra passar com o Rei. Se ajoelhe, adore, louve, ore, medite na sua palavra, converse com o Rei, pois ele também é seu melhor amigo, mesmo que você não tenha ideia, mas ele é a pessoa que mais te ama.

Se você ainda está seguindo a Estrela, não deixe de seguir mas observe os sinais. A estrela irá parar sobre o lugar onde está o menino Jesus. Que lugar é esse? Pode ser uma casa bem simples, um casebre, ou talvez uma estrebaria, não importa, o menino Jesus nasce pra todos. Se você ainda não sentiu isso, Ele sempre esteve por perto te iluminando, te dando a direção, a esperança, Ele deseja nascer e reinar em seu coração. Isso é muito importante, pois quando o Rei Jesus nasce em nosso coração nos alegramos muito com grande alegria, como nunca houve antes. Você já sentiu esse regozijo? O Rei Jesus Nasceu e a sua casa se tornou a Casa do Pão.

Na minhã história consegui apenas dois pães. Mas nesse caso não precisamos de tanto. Somente um pão sacia a nossa fome. Jesus é o Pão da Vida (Jo 6.48).

"Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre..." João 6.51a

E o outro pão da minha história? Entendi que o outro pão sou eu, é você, somos nós, corpo de Cristo. O "outro pão" faz parte do nosso sacrifício para ir até os famintos e compartilhar com eles esse alimento glorioso.

"Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás." Eclesiastes 11.1

Assim como o menino Jesus nasceu em nosso coração, ele quer nascer em outros corações. Precisamos pregar essas boas novas e dar o pão aqueles que estão sem esperança alguma, sem vida alguma, os quais precisam ser vivificados pelo poder deste alimento. Comemos este Pão, temos este pão em nós, pois também somos feitos "Casa do Pão". Não percamos tempo, vamos pregar esse evangelho para os que estão em busca do pão da vida.

"Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. (...) Jesus respondeu e disse-lhes: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou." João 4.34, João 6.29 



Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra

Revista Rio de Deus 1ªED/PG5/2018 | Tres segredos de Deus





Eu sempre conto segredos para o meu amigo fiel. Se Deus for seu melhor amigo com certeza Ele dirá a você segredos sobre Ele mas se você contar não será mais segredo. Não se preocupe, eu conversei com meu Amigo e Ele permitiu que eu revelasse aqui alguns segredos. Vamos saber quais são os três segredos de Deus.

Três segredos, três amigos. O primeiro amigo é Enoque. A Bíblia conta que Enoque andou com Deus (Gn 5.24). O primeiro segredo é: Quem anda com Deus é tomado para Ele. Você está disposto a deixar tudo nessa terra para morar com Deus? Deus deixou tudo no céu para morar na terra com os homens. Não há nada que ele peça pra você que antes ele não tenha feito por você. Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro (1 Jo 4.9).

O segundo amigo é João. Ele viu um mistério em Jesus Cristo na sua crucificação. Ele conta que um dos soldados furou o seu lado com uma lança e logo saiu água e sangue (Jo 19.34). Esse foi um sinal de que Jesus não veio só por água, mas também por sangue (1 Jo 5.6). O segundo segredo é: Somos gerados e vivemos por água e por sangue. A água é a Palavra Viva de Deus (1 Pe 1.23). O sangue é o sacrifício de Jesus Cristo (Hb 9.14). Cristo fez o sacrifício maior, e nós, não queremos fazer nenhum sacrifício? Deus nos pede o sacrifício vivo, santo e agradável feito no corpo por intermédio do verdadeiro culto (Rm 12.1). O sacrifício também está em ter uma vida de oração (1 Ts 5.17). O jejum também é um sacrifício (Mt 17.21; Mc 9.29; 1 Co 7.5). Exitem pessoas que não querem mais entender que tem uma cruz pra carregar e que isso além de ser bíblico é indispensável para se seguir a Cristo (Mt 16.24; Mc 8.34; Lc 9.23).

O terceiro amigo é Moisés. Deus deu as costas pra Moisés (Ex 33.23). Você daria as costas pra um inimigo? Eis o terceiro segredo: Deus só revela seus segredos para os melhores amigos. Qual o segredo que Moisés viu nas costas de Deus? Quer saber? É simples, seja o melhor amigo de Deus e você descobrirá.




7 de dezembro de 2016
Autor: G.F. da Silva

MINUTO APOSTOLICO: No Principio





Em Gênesis 1.1a, está escrito: "No princípio". Viva baseado "no principio". Viver baseado "no princípio" é viver fundamentado no príncipe do princípio, isto é, na Palavra. Em João 1.1a Diz, "No princípio era a Palavra", em Colossenses 1.18 diz: "E ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio"  Apocalipse 3.14b diz, "Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus." "No princípio" é uma expressão que significa "o Filho na Casa" . Então podemos concluir que o Filho é Cristo. Posterior a criação humana podemos dizer: O Filho está na Casa: Cristo está em nós. E mesmo que ele não esteja, mesmo que você seja o filho pródigo, hoje é o dia de viver no principio, hoje é o dia de se levantar e voltar para a casa do Pai. Viver "no princípio" é viver no impulso da ação. Viva de ação e não de reação. Quem age é proativo, quem reage é previsível. Seja proativo, viva no impulso da ação, viva atitudes, pois viver é agir. Viver "no princípio" é viver no impulso da razão. Cristo é o cabeça da Igreja e do Homem (Ef 5.23, 1 Co 11.3), Viva baseado na razão, no raciocínio, no pensar, pois a razão é o equilíbrio da ação. O culto que Deus quer de nós, é o culto racional, com entendimento (Rm 12.1). Viver "no princípio" é viver princípios: o princípio da Sabedoria. A Sabedoria é como um quadro preto e branco. Ter sabedoria não é sinônimo de ter respostas, é ter perguntas também. A Sabedoria deve andar de mãos dadas com a compreensão. Saber ouvir é compreender, compreensão é a face equilibrada da sabedoria. Pra que serve o céu de sabedoria sem a compreensão? Caso contrário o céu será só seu, o céu de solidão. Devemos ser sábios ao ponto de compreendermos o outro, pois essa tolerância só produzirá o aperfeiçoamento mútuo. O principio da revelação é o esclarecimento dado por Deus de tudo que você necessita saber. Se você tem dúvidas, peça a revelação dada pelo professor Espírito Santo. O último princípio é o princípio das dores. O maior símbolo deste princípio é a cruz. Não há cruz nas nossas costas mas havia uma nas costas de Jesus. Ele levou a cruz mais pesada. A nossa cruz representa a nossa aflição passada ou presente, e acima de tudo a nossa mensagem evangélica, por mais que a sua cruz pareca pesada, ela ainda é uma cruz suave e leve diante do sofrimento e martírio de Cristo. Viva "no princípio", com certeza assim chegaremos à casa do Pai. 



G.F. da S. B./02.02.2018