Muito alem de Jerusalem




Qual é o nosso lugar? Nascemos em uma cidade brasileira, de língua portuguesa, nosso povo tem  sua cultura, meu estado tem sua identidade cultural e religiosa. Minha cidade é a cidade onde moro, onde tenho minha casa, onde congrega minha igreja. Não me reconheço como judeu, nunca saí do meu país, nunca fui pra Israel, não conheço Jerusalém, nem uma rua sequer dessa cidade. Então, qual é a minha cidade sagrada? Alguns diriam, Jerusalém, eu digo, Beulá.

"Nunca mais te chamarão: Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais: Assolada; mas chamar-te-ão: Hefzibá; e à tua terra: Beulá; porque o SENHOR se agrada de ti; e a tua terra se casará." Isaías 62.4 

Beulá não tem muros, mas tem árvores a sua volta, não tem portas, mas tem estradas reais que encaminham-se ao seu centro. Onde está a cidade? Onde está o campo? Em um mesmo lugar. No lugar das casas há jardins, no lugar das praças, há bosques, no lugar de ouro há pessoas, no lugar do cristal, há sinceridade. Lá há toda sorte de animais, os tigres e os leões convivem fraternalmente, cada um no seu lugar. No lugar de telhas, há palhas, no lugar de tijolos, há barro: a pura tecnologia da sublimidade da natureza é o progresso de uma civilização que jamais terá fim. Ela é como uma paisagem pintada de um povo de uma família só, onde há beleza da maior natureza vem dos tesouros da humildade: riqueza, honra e vida. Essa cidade é conhecida como a cidade do Filho de Deus.

Como chegar a Beulá? Você me perguntaria. Venha comigo e siga o trigal dourado na divisa infinita, muito além de JerusalémDescobrir uma cidade é como descobrir uma esposa, apesar de conhecer a minha em certo nível, não se sabe a glória que possa estar escondida para o dia da revelação. Para descobrir uma cidade deve-se chegar ao ponto da intimidade de dizer naturalmente a ela, "minha querida!", ou "minha esposa!". Neste dia, muito além do mais profundo abismo, Jerusalém revelará Beulá, a minha cidade natal.



Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra
25 de dezembro de 2017