O Viajante dos Mares





Mateus 8.22-27

"Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me e deixa aos mortos sepultar os seus mortos. E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que, no mar, se levantou uma tempestade tão grande, que o barco era coberto pelas ondas; ele, porém, estava dormindo. E os seus discípulos, aproximando-se, o despertaram, dizendo: Senhor, salva-nos, que perecemos! E ele disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança. E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?"

Jesus tem um barco e ele navega sobre o mar. Ele é o viajante dos mares. No seu caminho ele me encontrou e me ensinou muitas coisas. A minha primeira lição é sobre o barco. Você me perguntaria o que significa esse barco? Só entrando nele pra descobrir, vamos lá.

Fique firme neste barco, você pode até ser navegante de primeira viagem, mas firme seus olhos no mar grande, você já viu quantas águas já passaram? Essas são as águas da morte. Jesus em muitas ocasiões enfrentou a morte, mas neste momento há vários tipos de morte diante de nós. Quando os mortos sepultam seus mortos, aí há dois tipos de morte: a física e a espiritual. Quando os discípulos se abatem pela tempestade, aí está a morte da alma. Mas não se preocupe, nenhuma delas é sua. 


"E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?" Jo 11.26


No barco, no mar bravio, você faz sua escolha: durma ou lute até o fim. Você pode ser como o mestre ou como o discípulo, mas nunca esmoreça e desista. Combata pela vida até o seu último suspiro. Sua vida nunca se acabará, só dormirá no Barco. O Barco é Deus, nosso Pai. A vida só pode ser entregue a ele quando não há mas nenhuma força para respirar (Lc 23.46). Porém mesmo após a partida ainda há outro santo sopro que nunca se apagará.

As vezes não é só com a morte que lutamos. Os discípulos foram despertar Jesus. Jesus despertou, mas a velha criatura despertou nos seus discípulos. E esse despertar é ideológico. É o despertar das lembranças e o despertar da determinação, da lei. E todos estes elementos assombram nossas mentes e nos escravizam. O despertar da velha criatura é também um despertar terreno, carnal. É nesse ponto que as trevas investem contra o últimos raios de luz, e eles estão nos olhos. Neles você encontra a verdade: os homens criam suas próprias tempestades. Existem dois tipos de visão, uma constrói, outra destrói, uma aperfeiçoa, outra distorce, uma é visão de bonança, outra, de tempestade. Se sua visão distorce o tempo e o espaço, como um buraco negro, é preciso aprender com a visão de candeia. Se seu olhar emana luz, você aceita a realidade, analisa as coisas e transforma as pessoas. Com uma visão dessas, nada é distorcido, mas tudo fica no seu devido lugar.

A pior face da tempestade está mesmo na morte. Como vence-la? 



"Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, (morte) a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesu Cristo." 1 Co 15.55-57

Há um trono de um legislador e de um juiz em você. Você pode até experimentar ser a lei (Tg 4.11), ou ser o dominador (Gn 4.7) mas isso é muito penoso pra qualquer um de nós. Já temos em nós o tribunal da consciência e dos pensamentos, e Deus, um dia, nos julgará (Rm 2.14-16). A nossa lei é a lei do sim e não do não. Todo estamos debaixo da lei da liberdade (Tg 1.25; 2.12). Você é livre pra plantar o que quiser mas não se esqueça que é você que vai colher. O juízo certamente virá como uma chuva de p's: Juízo de palavras, de pensamentos e procedimentos. Isso mesmo, nem pensamento dá pra esconder pois um dia Deus julgará o segredos dos homens.


Veja os cinco tipos de juízo: 



Juízo próprio

"Porque em nada me sinto culpado; (Porque a minha consciência não traz testemunha contra mim en nada) mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor."  1 Co 4.4 



Juízo diário

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no espírito do espírito ceifará a vida eterna." Gálatas 6.7,8



Juízo pós-morte 

"Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo." Hb 9.27 



Tribunal de Cristo

"Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal." 2 Co 5.10 



Juízo final

"E vi aos mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e foram abertos os livros: e foi aberto outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, conforme as suas obras." Ap 20.12 

No final da história, os discípulos disseram: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? Este é o novo homem, o homem do domínio e da transformação, como nós podemos ser. Você pode ser vitorioso sobre a morte, sobre a natureza pecaminosa e sobre o juízo, para isto entre no Barco. A maior garantia de vida é o Barco, é o Pai. Tudo começa com Jesus no Barco, tudo termina com Jesus no Barco com os seus discípulos, o Barco nunca naufragará. Se as águas que passaram são águas de morte, as águas à nossa frente são as águas da vida! Jesus, o viajante dos mares, diz no seu Barco:



“vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.” Mc 1.17 



Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra
25 de janeiro de 2018