E ASSIM CAIU UM ANJO...






"e de um sangue (só) fez toda a geração dos homens para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação" Atos 17.26 

A Bíblia conta que o homem e a mulher foi criado no sexto dia (Gn 1.26), e a eles foi dado o domínio sobre a terra (Gn 1.28). O homem foi criado do pó da terra (Gn 2.7), a mulher do lado (ou costela) de Adão (Gn 2.21,22). Deus plantou um jardim no Éden e fez brotar árvores da terra para comida, a arvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal (Gn 2.9). Essa é a primeira sociedade da terra: a sociedade edênica. Ela é formada por Adão , Eva, as árvores e o próprio Deus. Isso se dá porque há fortes indícios de que a narrativa do Gênesis é simbólica e não literal. Vemos na bíblia diversos textos que personificam arvores (Nm 24.6, Jz 9.8, 1 Cr 19.33, Is 61.3, Ez 17.24). Em especial, no livro de Ezequiel:

"Eis que a Assíria era um cedro no Líbano, de ramos formosos, de sombrosa ramagem e de alta estatura, e o seu topo estava entre os ramos espessos." Ezequiel 31.3

Esse texto conta que existia uma árvore no jardim de Deus que elevou a sua estatura sobre todas as árvores do campo, até o momento a narrativa aborda a história da Assíria. Vamos continuar lendo:

"Os cedros não o podiam escurecer no jardim de Deus; as faias não igualavam os seus ramos, e os castanheiros não eram como os seus renovos: nenhuma árvore no jardim de Deus se assemelhou a ele na sua formosura." Ezequiel 31.8 

A partir do versículo nove é revelado de qual jardim realmente o texto está falando:

"Formoso o fiz com a multidão dos seus ramos: e todas as árvores do Éden, que estavam no jardim de Deus tiveram inveja dele." Ezequiel 31.9

O relato histórico não é mais o foco. Ele é apenas usado para falar de uma verdade anterior, a queda da árvore elevada, Lúcifer.

Se interpretarmos Gênesis 2 e 3 a luz de Ezequiel 31 e do conceito de personificação das árvores da Bíblia vamos notar que há uma sociedade no Éden: Deus, homens e anjos vivendo em total harmonia. Parece que sempre foi esse o objetivo de Deus, e essa será o final da história humana, segundo Apocalipse 21 e 22.

Porém, no jardim do Éden se destacou uma árvore (Lúcifer) e isso motivou a inveja das outras árvores (demais anjos). Isso atraiu a ira de Deus que caiu sobre a arvore altiva. O pecado dessa árvore que se engrandeceu é o orgulho:

Portanto assim diz o Senhor JEOVÁ: Como te elevaste na tua estatura, e se levantou o seu topo no meio dos espessos ramos, e o seu coração se exalçou na sua altura, Eu o entregarei na mão da mais poderosa das nações, que lhe dará o tratamento merecido; pela sua impiedade o lançarei fora. Ezequiel 31.10,11

A ORIGEM DE SATANÁS

Vamos usar o texto de Ezequiel 28 que aborda a história do Rei de Tiro (Lúcifer).
Lúcifer era um querubim ungido cheio de sabedoria e formosura (Ez 28. 13,14) e ele estava no Éden:

"Estavas no Éden, jardim de Deus: toda a pedra preciosa era a tua cobertura, a sardônia, o topázio, o diamante, a turquesa, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo, a esmeralda e o ouro: a obra dos teus tambores e dos teus pífaros estava em ti; no dia em que foste criado foram preparados." Ezequiel 28:13 

Parece que a ordem de Deus sobre muitos anjos querubins é a proteção de lugares determinados. Lúcifer protegia e guardava o Monte Santo de Deus:

"Tu eras querubim ungido para proteger, e te estabeleci: no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas." Ezequiel 28.14

Esse querubim ungido pecou no seu coração:

"Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Ezequiel 28.15, 17

O pecado de Lúcifer é um pecado de rebelião contra Deus:

Portanto, assim diz o Senhor JEOVÁ: Pois que estimas o teu coração, como se fora o coração de Deus. Ezequiel 28.6 

A REBELIÃO DE LÚCIFER

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do norte. Subirei acima das mais altas nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo." Isaías 14.12-14

Especificamente a rebelião de Lúcifer foi motivada pelo seu orgulho. A partir disso, ele intentou ser semelhante a Deus. É interessante notar que ele se elevou "acima das estrelas de Deus", "acima das mais altas nuvens", isso significa que ele queria ser mais elevado do que os outros anjos superiores.
A partir desse momento Lúcifer organizou a sua rebelião. Ele enganou os outros anjos que aderiram ao seu pecado, a saber a terça parte dos anjos:

"E apareceu outro sinal no céu, e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças, sete diademas. E a sua cauda  levava arrastando a terceira parte das estrelas do céu, e lançou-as em (sobre a) terra; e o dragão parou-se diante da mulher que havia de dar à luz,  para que, dando ela à luz,  tragasse a seu filho." Apocalipse 12.3,4

Nessa rebelião a terça parte dos anjos e Lúcifer caíram, e também posteriormente o homem:

"E fez-se uma batalha no céu: Miguel e mais seus anjos combatiam contra o dragão; e combatia o dragão e os seus anjos, mas não prevaleceram; (não foram os mais fortes) nem mais foi o seu lugar achado nos céus. E foi lançado o grande dragão, a saber, a antiga serpente chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi lançado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele" Apocalipse 12:7-9

A rebelião do Éden começou nas mesmas circunstancias, pois o engodo da serpente estava em fazer o homem crer que poderia ser como Deus:

"Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." Gênesis 3.5

A rebelião de Lúcifer e a rebelião do Éden tanto se assemelham que é justo concluirmos que se trata da mesma rebelião. No texto de Gênesis, os anjos seriam as árvores, e Lúcifer, a árvore do conhecimento do Bem e do Mal. A Arvore da Vida é Deus, que dá ao homem a vida eterna mediante sua obediência. Lúcifer é colocado como querubim ungido e isso atraí a inveja das outras árvores (Ez 31.9). Pelo seu orgulho Lúcifer cai e leva consigo a terça parte dos anjos e a humanidade (Ap 12.9).

No contexto do pecado do homem, comer da árvore do conhecimento do Bem e do Mal é partilhar de uma sabedoria maligna e de rebelião contra Deus que culmina na queda do homem. Deus na sua justiça, penaliza o homem e a mulher pelo seu pecado e também a serpente.

Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a besta, e mais que todos os animais do campo: sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida. Gênesis 3.14 

A partir desse momento ele deixa de ser chamado de Lúcifer, o portador da luz, e passa a se chamar Satanás, o adversário e acusador de Deus e da humanidade.



12 de dezembro de 2016
Autor: Gabriel Francisco da Silva Bezerra